Lenalidomida - Informações

Lenalidomide é um derivado da talidomida usado para tratar mieloma múltiplo e anemia em síndrome mielodisplásica de baixo a risco intermediário. Nessa página você tem acesso a todas as informações sobre Lenalidomida, como indicações de uso, contraindicações, efeitos colaterais, informações químicas, preço, história, origem, efeitos e outros. 

Índice de Conteúdo
- Informações
- História
- Indicações
- Efeitos Colaterais
- Contra Indicações
- Como Usar
- Média de Preço
- Outras Substâncias
- FAQ

Informações Básicas do Lenalidomida

Veja abaixo todos os detalhes e informações sobre Lenalidomida:

  • Nome: Lenalidomida
  • Nome em Inglês: Lenalidomide
  • Nome Genérico: Lenalidomide
  • Tipo: Small Molecule
  • Fórmula Química: C13H13N3O3

Informações Avançadas:

  • Nome químico: 3-(4-amino-1-oxo-1,3-dihydro-2H-isoindol-2-yl)piperidine-2,6-dione
  • Formula molecular: C13H13N3O3
  • Peso molecular: 259.26 g/mol
  • Classe terapêutica: Imunomodulador
  • Mecanismo da ação: Inibidor da angiogênese e estimulante da imunidade celular
  • Forma de administração: Oral

Lenalidomida - História, Descoberta e Origem

A Lenalidomida é um medicamento utilizado no tratamento de algumas doenças do sangue, como o mieloma múltiplo e a anemia mielodisplásica. Ele tem ação imunomoduladora, ou seja, atua no sistema imunológico, e também é considerado um agente antiangiogênico, que inibe a formação de novos vasos sanguíneos.

Sua história começa na década de 1950, quando os cientistas S. W. Kuehl e Roy Hertz descobriram o potencial de uma substância chamada talidomida no tratamento de doenças inflamatórias e doenças do sangue. No entanto, a talidomida ficou conhecida por causar graves malformações congênitas em bebês quando utilizada durante a gravidez, o que levou à proibição do seu uso em vários países.

Apesar dos riscos associados à talidomida, pesquisas continuaram sendo feitas com a substância e, em 1991, a lenalidomida foi desenvolvida a partir dela. Diferente da talidomida, a lenalidomida é mais potente e tem menos efeitos colaterais, o que a torna um medicamento mais seguro.

Em 2004, a lenalidomida foi aprovada pela Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos para o tratamento do mieloma múltiplo, um tipo de câncer que afeta as células plasmáticas do sangue. Desde então, ela tem sido utilizada também no tratamento de outras doenças do sangue, como a anemia mielodisplásica, e em alguns casos de câncer de ovário e câncer de próstata.

Além disso, a lenalidomida tem sido estudada para o tratamento de outras condições, como a doença de Crohn, a doença de Behçet e a lepra. Seu mecanismo de ação ainda não é completamente compreendido, mas acredita-se que ela atue no sistema imunológico e também iniba a formação de novos vasos sanguíneos, o que pode ser útil no tratamento de doenças que envolvem inflamação e crescimento anormal de tecidos.

Apesar de ser um medicamento promissor, a lenalidomida também pode causar efeitos colaterais, como fadiga, náuseas, diarreia, infecções e problemas de pele. Por isso, seu uso deve ser sempre acompanhado por um médico e é importante seguir as orientações de dosagem e monitorar possíveis reações adversas.

Em resumo, a lenalidomida é um medicamento importante no tratamento de doenças do sangue e outras condições, que surgiu a partir da descoberta da talidomida e tem se mostrado eficaz e seguro quando utilizado corretamente. Seu desenvolvimento é um exemplo de como a ciência pode transformar uma substância perigosa em um remédio útil e benéfico para a saúde.

Indicações de uso - Lenalidomida

Veja abaixo em quais ocasiões é recomendado o uso de Lenalidomida:

  • Tratamento de mieloma múltiplo
  • Tratamento de anemia em pacientes com mielodisplasia
  • Tratamento de anemia em pacientes com síndrome mielodisplásica
  • Tratamento de linfoma de células do manto
  • Tratamento de macroglobulinemia de Waldenström
  • Tratamento de anemia em pacientes com mielofibrose
  • Tratamento de anemia em pacientes com mielofibrose pós-policitemia vera ou mielofibrose pós-trombocitemia essencial
  • Tratamento de anemia em pacientes com anemia aplásica
  • Prevenção de rejeição de enxerto em transplantes de células-tronco hematopoiéticas

Efeitos Colaterais - Lenalidomida

Veja abaixo alguns efeitos colaterais do Lenalidomida

  • Dor de cabeça
  • Náusea
  • Fadiga
  • Dor abdominal
  • Perda de apetite
  • Insônia
  • Tontura
  • Diarreia
  • Constipação
  • Alterações no paladar
  • Sensação de fraqueza
  • Infecções respiratórias
  • Trombose
  • Reações alérgicas
  • Diminuição da contagem de células sanguíneas
  • Problemas hepáticos
  • Problemas renais
  • Problemas cardíacos

Vale lembrar que os efeitos colaterais do Lenalidomida não significa necessariamente que você vai sentir esses sintomas. Em casos raros alguns sintomas podem aparecer,

ContraIndicações - Lenalidomida?

  • Não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou que estejam amamentando;
  • Pacientes com hipersensibilidade conhecida à lenalidomida ou a qualquer componente da fórmula;
  • Pacientes com doenças renais graves;
  • Pacientes com doenças hepáticas graves;
  • Pacientes com doenças cardíacas graves;
  • Pacientes com infecções ativas não tratadas;
  • Pacientes com histórico de trombose venosa profunda ou embolia pulmonar;
  • Pacientes com baixa contagem de células sanguíneas (leucócitos, plaquetas ou hemoglobina);
  • Pacientes com histórico de reações alérgicas graves;
  • Pacientes em uso de medicamentos que possam interagir com a lenalidomida;
  • Pacientes com histórico de doenças autoimunes;
  • Pacientes com histórico de doenças cardiovasculares, incluindo insuficiência cardíaca congestiva;
  • Pacientes com histórico de doenças hepáticas, incluindo hepatite B ou C;
  • Pacientes com histórico de doenças renais, incluindo insuficiência renal;
  • Pacientes com histórico de doenças do sangue, como anemia, mieloma múltiplo ou síndrome mielodisplásica;
  • Pacientes com histórico de doenças pulmonares, incluindo fibrose pulmonar;
  • Pacientes com histórico de doenças gastrointestinais, incluindo úlceras;
  • Pacientes com histórico de doenças infecciosas, incluindo HIV;
  • Pacientes com histórico de doenças neurológicas, incluindo epilepsia;
  • Pacientes com histórico de doenças oculares, incluindo glaucoma;
  • Pacientes com histórico de doenças endócrinas, incluindo diabetes;
  • Pacientes com histórico de doenças psiquiátricas, incluindo depressão ou transtornos de ansiedade;
  • Pacientes com histórico de doenças imunossupressoras, incluindo transplante de órgãos;
  • Pacientes com histórico de abuso de álcool ou drogas;
  • Pacientes com histórico de doenças genéticas, como síndrome de Down;
  • Pacientes com histórico de doenças autoimunes, como lúpus ou artrite reumatoide.

Como Usar Lenalidomida

Lenalidomida é um medicamento utilizado no tratamento de várias condições, como mieloma múltiplo, mielodisplasia e linfoma de células do manto. Ele é geralmente administrado na forma de comprimidos para administração oral. No tratamento do mieloma múltiplo, a lenalidomida é frequentemente combinada com dexametasona ou outros agentes quimioterápicos. Para pacientes com mielodisplasia ou síndromes mielodisplásicas associadas ao síndrome mielodisplásico (SMD), a lenalidomida é geralmente administrada como monoterapia. O medicamento funciona através da modulação do sistema imunológico, inibindo a proliferação celular e promovendo a morte das células cancerosas. É importante seguir rigorosamente as instruções do médico quanto à dosagem e à frequência do medicamento. Além disso, é fundamental realizar exames de acompanhamento para monitorar possíveis efeitos colaterais, como supressão da medula óssea, trombose e reações cutâneas. A lenalidomida é um medicamento potente e deve ser utilizado estritamente sob prescrição médica e supervisão profissional.

Média de Preço do Lenalidomida - Quanto Custa?

Abaixo temos uma lista com a média de preço do Lenalidomida em diferentes países, levando em consideração que esse valor pode estar bem diferente da realidade, com uma margem de erro de 50% a 100% mais caro ou mais barato.

  • Brazil: R$ 10.000,00
  • EUA: $ 2.500,00
  • Euro: € 2.000,00

Os preços do Lenalidomida podem ter diferenças gritantes de um país para o outro, dependendo da sua política de preços e volatilidade. Essa lista de preço é apenas para dar uma noção se o produto é caro ou barato na sua região.


FAQ - Perguntas e Respostas

O que é Lenalidomida?

Lenalidomide é um derivado da talidomida usado para tratar mieloma múltiplo e anemia em síndrome mielodisplásica de baixo a risco intermediário.

As informações do Lenalidomida são verdadeiras?

As informações sobre o medicamento contidas nessa página podem não refletir total realidade, visto que pesquisas são atualizadas constantemente e informações podem divergir de diferentes bancos de dados, por esse motivo recomendamos consultar sempre a bula do medicamento e utilizar apenas com auxilio médico.

pt_BRPortuguese